A missão de ser mulher


Por: Paula Makdissi
Divulgue esse post:

Durante a Semana da Mulher vemos tantas campanhas, tantas homenagens, flores, mensagens, e também vemos muitos desabafos, muitas frentes de batalha. Isso me leva a refletir sobre muitas mulheres descontentes, frustradas, agoniadas….quase como que um grito de socorro!
Acredito que todas nós mulheres vivemos um pouco desse conflito. Dia a Dia enfrentamos a desafiadora missão de ser mulher, independente da realidade que vivemos: casada, solteira, mãe, dona de casa, profissional, etc…
Como não cair na frustração? Será que alguma mulher realmente dá conta de tudo?
Como encontrar leveza e mais realização nessa nossa missão?
O primeiro passo, acredito, seria realmente reconhecer essa missão especial no seu papel, pois quando se tem uma missão, se desenvolvem diversas qualidades, resultando em um crescimento pessoal que vai trazer uma sensação de realização que vai superar a frustração.
E como descubro minha missão? O primeiro passo é compreender o poder que tem uma mulher na posição que ocupa, com suas inúmeras qualidades, equilibrando com seu lado feminino, que é a sua natureza.
“A mulher está destinada a levar à família, à sociedade, à Igreja, algo de característico, que lhe é próprio e que só ela pode dar: sua delicada ternura, sua generosidade incansável, seu amor pelo concreto, sua agudeza de engenho, sua capacidade de intuição, sua piedade profunda e simples, sua tenacidade… A feminilidade não é autêntica se não reconhece a formosura dessa contribuição insubstituível, e se não a insere na própria vida.” (São Josemaria)
Uma vez descoberto esse caminho, com autonomia pessoal, com autenticidade, a mulher vai enxergar a missão para que qual foi chamada, seja qual for: sua vida e trabalho serão realmente construtivos, cheios de sentido, quer passe o dia dedicada ao marido e aos filhos, quer se dedique ao trabalho, e depois a casa.
Não vai se sentir humilhada, pois sabe que tem uma posição especial no mundo! Não vai sentir necessidade de se igualar ao homem, mesmo porque dessa forma ela pode ser ainda melhor!
Num plano essencial — que deve ser objeto de reconhecimento jurídico — , aí, sim, pode-se falar de igualdade de direitos, porque a mulher tem, exatamente como o homem, a dignidade de pessoa e de filha de Deus.
Mas no plano pessoal, imaginem quantas conquistas, quanta alegria podemos encontrar.
E quando algo da errado ou se encontra um obstáculo, não poderemos encarar como frustração, pois eles fazem parte. O caminho a seguir para conquistar um objetivo, já é a própria realização.
Feliz dia das mulheres!

Leia Também

Deixe o seu comentário

0 Comentários

Deixe o seu comentário!